Você precisa de quê?

                Sabe quando você afirma para si mesmo ou para os outros que não vai dar para fazer algo relacionado com o Reino de Deus, pois para isso precisaria de…

… Precisa mesmo?

                Em muitos casos, daria para fazer sem o que dizemos necessitar e estamos nos autolimitando pela imposição de nossas próprias exigências.

                Na realidade, dava para fazer, mas nós é que não queremos.

                Não queremos cantar com o som ruim ou sem som.

                Não queremos cozinhar com equipamentos modestos ou sem todos equipamentos.

                Não queremos cultuar em um espaço sem tudo que nele devia haver para o nosso conforto.

                Como muitas vezes o que apontamos ser preciso não surge, terminamos por nada fazer.

                Uma coisa é identificarmos aquilo que é essencial para alcançarmos nosso objetivo. Não tem como matar a fome das pessoas sem alimento.

Mas, para muitas outras situações, bastaria boa vontade e criatividade para superarmos as dificuldades e constatarmos que aquilo que dizíamos necessitar tanto, não era imprescindível.

Com recursos e bens, seria melhor, mas sem tantos recursos e bens, daria para fazer.

Vocês podem imaginar a quantidade enorme de coisas que eu, por ser cego, poderia pedir a quem me solicita algo?

Eu diria precisar disso e daquilo que quase sempre, não é fácil encontrar.

Assim, ficaria livre da tarefa, deixaria em falta as pessoas que me solicitaram, por não me disponibilizarem o que pedi. Eles, culpados e diminuídos. Eu, inocente e orgulhoso. Diante de Deus isso não passaria despercebido. 

Leio o relato emocionado de um pastor que visita irmãos nossos na África. Ele fala de tudo que eles não têm, mas apesar disso louvam com entusiasmo. Vejo a lista dos itens e reconheço que para eles louvarem, não precisariam mesmo de nada daquilo que não possuem. Prova disso é que louvam com vigor e alegria.

Houve um dia em que não tínhamos tantos recursos. Oramos então a Deus pedindo que nos desse. Antes de termos tanto, fazíamos com o pouco que tínhamos. Depois que Deus nos atendeu a oração, se o projetor não funcionar, não vamos cantar. Se não houver ar condicionado, não vamos frequentar aquela igreja. Caso não haja cadeiras suficientes, não vamos ficar de pé nem um pouco. O que mudou então?

Os recursos e bens nos foram acrescentados. Isso mudou e foi bom, mas o que do nosso coração foi subtraído?

Se Tenho de Deus o auxílio, não preciso de mais nada. Ele não depende do que tenho e não está limitado pelo que não tenho. Se eu for cantar para crianças em uma escola, caso tenham som, uso. Caso não tenham, canto o mais alto que consigo. Se tiverem projeção, uso. Se não tiverem, faço brincadeiras com as crianças, as quais todas possam ver. Preparo-me para usar 15 minutos, mas dão a mim 5. Uso os cinco. Enfim, tenho real dificuldade para imaginar algo que, caso não houvesse, me impediria de comunicar a mensagem. 

Coloque-se diante de Deus de forma honesta e sincera e verá que para fazer o que Ele deseja de você, não precisa de tanto, mas apenas de disposição baseada na confiança de que Deus proverá o que realmente for preciso.

Se tudo que poderia ser feito para a obtenção dos recursos e bens, de forma diligente, prudente, honesta, ética e amorosa, foi feito, mas o que se julgava indispensável não foi obtido, era porque, estávamos enganados quanto a real necessidade. 

Para fazer algo para Deus, preciso Dele. Com Ele, de nada mais terei falta. No entanto, se eu tudo tiver, mas Deus me faltar, nenhum proveito haverá.

Na raiz do problema está o orgulho que muitas vezes nos leva a temer o fracasso ao realizar algo sem todos os recursos que nos dariam a segurança de que conseguiríamos obter êxito. Ao que se seguiriam os aplausos. Tememos apresentar algo imperfeito ou  falho. Ao que se seguiriam as vaias. Já pensou se alguém filma e posta em alguma rede social? Não queremos passar vergonha. Assim, se não nos derem as melhores condições, não faremos. Se não tivermos a garantia da perfeição na forma, pouco parece nos importar a transmissão do conteúdo. Se não podem ouvir a mensagem com excelente qualidade de som, que não ouçam. 

Eu e meus irmãos da África temos muitos motivos para louvar a Deus a plenos pulmões, pois temos pulmões, respiramos, temos voz, temos vida.

O que realmente precisamos para cantar em seu louvor, Ele já nos deu.

Quando Deus nos disse em Sua Palavra: “Todo ser que respira louve ao SENHOR. Aleluia!” (Salmo 150:6), Ele sabia que tudo de que realmente precisávamos para fazer isso, Ele já havia nos dado.

Mas, voltando ao início do que aqui escrevo, você precisa de que mesmo?

Imagine Deus, Aquele que vê seu coração, lhe fazendo essa pergunta. Ele não será desatento às suas reais necessidades. Tão pouco desprezará suas explicações insuficientes e desculpas esfarrapadas. Ele tão somente espera que você nEle confie.

Por fim, sobre às muitas necessidades dos irmãos do Malawi, que Deus lhes seja propício no suprimento de cada uma delas. Que possam vir a usufruir de melhor cuidado na saúde, educação e segurança, por exemplo. Enquanto isso não acontecer, o louvor entusiasmado e vibrante deles não será interrompido por nada.

Por Valter Júnior

em 05JUL19

http://www.valterjunior.com.br/

Sobre missoesemsuasmaos

Missões em suas mãos nasceu da importância de considerar a caminhada.

Alguns missionários, por vezes, tem caminhado sozinhos. Considere algumas possibilidades de atitudes que podem ser adotadas para caminhar com um missionário!

Acompanhe aqui algumas histórias missionárias e se disponha a caminhar com algum deles.

Se importa? Faça contato com um missionário!

Sou Júlio e meu coração pulsa por caminhada!
Vamos conversar mais?

missoesemsuasmaos@gmail.com
+55 61 98147-2584 (Tim e WhatsApp) com Júlio

2 Comentários

  1. Estevão Bezerra

    …tenho de Deus o auxílio, não preciso de mais nada. Ele não depende do que tenho e não está limitado pelo que não tenho…
    Ao ler essa frase, recordo das instruções que recebemos do Pr. Henrique Jardim (In memoriam) antes de sair pro campo missionário. Ele usou o texto de Provérbios 30:8, quando Agur pede a Deus “afasta de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem a pobreza nem a riqueza: dá-me só o pão que me é necessário”.
    Nesses 25 anos na obra missionária tem sido assim, recebemos o que é necessário na ótica divina e nada tem nos faltado. É maravilhoso servi-Lo!!!!!!!!!!!

    Responder
  2. Marta Rodrigues dos Santos Neves

    Muito bom seu cuidado, é verdade o maior beneficios sao as pessoas que Deus coloca no meu caminho. Quero muito que vocês conheçam meu projeto missionário que está em fase de execução de documentos para iniciar a prospecção de parceiros e mantenedores.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.